No. 424 'Esquadrão Tigre' (RCAF): Segunda Guerra Mundial

No. 424 'Esquadrão Tigre' (RCAF): Segunda Guerra Mundial


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

No. 424 'Esquadrão Tigre' (RCAF) durante a Segunda Guerra Mundial

Aeronave - Locais - Grupo e dever - Livros

No.424 "Tiger" Squadron foi um esquadrão RCAF que se formou na Grã-Bretanha em outubro de 1942 como parte do Comando de Bombardeiros, originalmente como parte do Grupo No.4, mas a partir de 1º de janeiro de 1943 como parte do Grupo No.6 (RCAF).

O esquadrão realizou sua primeira operação em 15 de janeiro de 1943 e passou os três meses seguintes operando com o Comando de Bombardeiros, antes de se mudar para o Norte da África para apoiar as invasões da Sicília e da Itália. O escalão terrestre deixou a Grã-Bretanha em 15 de maio de 1943, seguido pela aeronave em 5 de junho, e o esquadrão voltou a se reunir em Kairouan em 23 de junho de 1943.

Em 26 de setembro de 1943, o esquadrão partiu para o Reino Unido, deixando seus Wellington para trás. Em seu retorno à Grã-Bretanha, o esquadrão recebeu o Halifax III, iniciando operações com o Comando de Bombardeiros em 18 de fevereiro de 1944. O esquadrão participou de 123 ataques de bombardeio e 33 missões de minelaying enquanto voava no Halifax. O Avro Lancaster chegou no início de 1945 e foi usado pela primeira vez em 1 de fevereiro de 1945, permanecendo em uso até o final da guerra. Durante este período, foi usado em 29 bombardeios e 13 ataques com minelaying.

Após o fim da guerra na Europa, o No.424 não foi alocado para a Tiger Force (para a guerra contra o Japão) e, em vez disso, tornou-se um esquadrão de transporte, transportando tropas de e para o continente antes da dissolução em 15 de outubro de 1945.

Aeronave
Dezembro de 1942 a abril de 1943: Vickers Wellington III
Fevereiro-outubro de 1943: Vickers Wellington X
Dezembro de 1943 a janeiro de 1945: Handley Page Halifax B.Mk III
Janeiro a outubro de 1945: Avro Lancaster I e III

Localização
15 de outubro de 1942 a 19 de abril de 1943: Topcliffe
19 de abril a 3 de maio de 1943: Leeming
3 de maio a 15 de maio de 1943: Dalton
16 de junho a 30 de setembro de 1943: Kairouan / Zina
6 de novembro de 1943 a 15 de outubro de 1945: Skipton-on-Swale

Códigos de esquadrão: QB

Dever
Outubro-dezembro de 1942: Esquadrão de bombardeiros com o Grupo No.4
1 de janeiro de 1943 a dezembro de 1945: Esquadrão de bombardeiros com o Grupo Nº 6 (RCAF)

Livros

Favoritar esta página: Delicioso Facebook StumbleUpon


Herança da força aérea canadense e # 8217s orgulhosamente exibida em Ontário

2017 marca 150 anos do Canadá e # 8217s e muitas pessoas irão explorar nossa grande terra com viagens rodoviárias durante os meses de verão. Para os entusiastas da aviação, Ontário oferece uma abundância de museus de aviação e ex-aeronaves militares canadenses montadas em pedestais.

Sudoeste de Ontário

Essex: Essex Memorial Spitfire. Spitfire réplica montada pintada como RCAF 401 Squadron YO-D, ML135 para homenagear o ás local da Segunda Guerra Mundial, Jerry Billing. A exposição homenageia todos os veteranos da área de Windsor / Essex.

Grand Bend: Pinery Flea Market. RCAF T-33 Silver Star em exposição.

Kitchener: Empório Spitfire. Uma réplica do Spitfire é montada acima da loja com as marcas do piloto de caça canadense Charley Fox.

Londres: Aeroporto Internacional de Londres. RCAF T-33 Silver Star montado no edifício do terminal.

Um RCAF Red Knight T-33 exibido na Base Borden. Fotos de Eric Dumigan

Londres: Museu da Aeronave a Jato. O museu tem vários ex-aviões militares em exibição e atualmente voa um Jet Provost. http://jetaircraftmuseum.ca/

Londres: Viaduto do Memorial Charlie Fox. Uma grande escultura em homenagem a um piloto local do Spitfire da Segunda Guerra Mundial.

Sarnia: Gremain Park. Sabre RCAF Golden Hawk F-86 montado.

Tillsonburg: Associação Canadense de Aeronaves de Harvard. CHAA opera várias aeronaves Harvard e vende passeios nos ex-treinadores de guerra. http://www.harvards.com/

Waterloo: Waterloo Warbirds. O grupo opera vários jatos antigos, incluindo o lendário De Havilland Vampire. http://www.waterloowarbirds.com/

Windsor: Associação Canadense de Aeronaves Históricas. CH2A opera vários ex-treinadores RCAF e está restaurando um bombardeiro Lancaster e de Havilland Mosquito. http://www.ch2a.ca/

Windsor: Jackson Park. Memorial da Segunda Guerra Mundial com réplica Spitfire e Hurricane montada em pedestal.

Golden Horseshoe / área metropolitana de Toronto

Agir sobre: Legião Real Canadense. RCAF T-33 Silver Star montado.

Angus: Museu Militar Base Borden. Mais de uma dúzia de aeronaves estão montadas em toda a base, junto com muitos veículos militares.

Brampton: O Museu Voador da Grande Guerra. O museu opera várias réplicas de aeronaves da Primeira Guerra Mundial e mantém um pequeno museu. https://greatwarflyingmuseum.org/

Collingwood: Legião Real Canadense. RCAF T-33 Silver Star montado.

Creemore: Legião Real Canadense. RCAF T-33 Silver Star montado.

Dundas: Associação da Força Aérea de Hamilton. RCAF T-33 Silver Star montado.

Dunnville: RCAF No.6 Dunnville Museum. A instalação celebra o Plano de Treinamento Aéreo da Comunidade Britânica e a história do RCAF No.6 Dunnville. http://www.rcafmuseum.org/site/home

Dunnville: Biblioteca Pública de Dunnville. RCAF WWII Harvard montado.

Edenvale: Edenvale Classic Aircraft Foundation. A fundação opera várias aeronaves canadenses interessantes. http://www.classicaircraft.ca/

Edenvale: Aeroporto de Edenvale: MiG 17 montado.

Fort Erie: Sugarbowl Park. RCAF Red Knight T-33 Silver Star montado.

Guelph: Os Tiger Boys. Uma grande coleção de aeronaves vintage e Tiger Moths. http://www.tigerboys.com/

Hamilton: Museu canadense do patrimônio de aviões de guerra. O maior museu voador do Canadá, onde os voos podem ser adquiridos em várias aeronaves. http://www.warplane.com/

Malton: Wildwood Park. RCAF CF-100 Canuck montado.

Oshawa: Aeroporto de Oshawa. Sabre RCAF F-86 montado.

Réplica de fibra de vidro dos caças Spitfire e Hurricane exibidos no Windsor & # 8217s Jackson Park.

Toronto: Canadian Military Staff College. RCAF CF-104 Starfighter em exibição, mas não acessível ao público.

Toronto: Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa. CAF CF-5 Freedom Fighter montado no aeroporto de Downsview.

Norte e Leste de Ontário

Barry & # 8217s Bay: Parque Zurakowski. Avro Arrow Memorial em homenagem ao residente de longa data e piloto de testes da Avro, Janusz Zurakowski. http://www.zurakowskipark.ca/

Belleville: Parque da Ilha West Zwicks. Sabre RCAF Golden Hawk F-86 montado.

Brockville: Block House Island Road RCAF Golden Hawk F-86 Sabre montado.

Brockville: Mosqueteiro CAF CT-134 montado na Hwy # 2 a oeste da cidade.

Campbellford: Harold Carlaw Memorial Military Museum. Um ótimo museu familiar com várias aeronaves em exibição.

Cornualha: Associação RCAF. RCAF T-33 Silver Star montado.

Cornualha: Nav Canada Centre. RCAF T-33 Silver Star montado.

Haliburton: Sam Slick Park. RCAF CF-100 Canuck montado.

Kingston: Aeroporto de Kingston. RCAF Harvard da Segunda Guerra Mundial montada.

Kingston: Royal Military College. RCAF CF-100 Canuck e F-86 Sabre montados.

Kingston: CFB Kingston. CAF Kiowas e CF-5 Freedom Fighter montados.

Baía Norte: Lee Park. RCAF CF-100 Canuck montado.

Baía Norte: CFB North Bay. CAF CF-100 Canuck e CF-101 Voodoo montados.

Ottawa: Museu Canadense da Guerra. http://www.warmuseum.ca/

Ottawa: Museu Canadense de Aviação e Espaço, Canadá e coleção nacional de aviação # 8217s. http://casmuseum.techno-science.ca/

Petawawa: Museu Militar CFB Petawawa. Douglas Dakota em exibição junto com vários veículos militares.

Peterborough: River Park Zoo. Sabre RCAF F-86 montado.

Canadian Armed Forces CF-116 Freedom Fighter exibido ao lado do 401 em Trenton Ont.

Picton: Coleção Keith Alder. CAF T-33 Silver Star e CT-134 Mosqueteiro em exibição.

Picton: Aeroporto de Picton. Várias dezenas de edifícios permanecem neste local do Plano de Treinamento Aéreo da Comunidade Britânica da Segunda Guerra Mundial.

Lago Vermelho: Norseman Heritage Park. Montou Noorduyn Norseman.

Sault Ste. Marie: Canadian Bushplane Heritage Centre. Uma grande coleção de aeronaves usadas no Canadá e # 8217s ao norte. http://bushplane.com/

Smith Falls: Victoria Park. RCAF montada em Harvard da segunda guerra mundial.

Trenton: Museu da Força Aérea Nacional do Canadá. A maior coleção de aeronaves militares em homenagem à história da Força Aérea Canadense. http://airforcemuseum.ca/en/

Trenton: Centro Comunitário Duncan McDonald Memorial. Sabre RCAF Golden Hawk F-86 montado.


Tamiya 1/48 De Havilland Mosquito FB Mk.VI

Tamiya e # 8217s Mosquito são uma representação muito boa desta aeronave icônica. O ajuste é excelente e a forma é precisa o suficiente para satisfazer todos, exceto os modeladores mais exigentes. Minhas aventuras com este não são de forma alguma um reflexo da qualidade do kit & # 8217s, mais ainda das limitações do construtor & # 8217s. Nada deu certo para mim e cometi tantos erros de novato que pensei seriamente em abandonar o projeto mais de uma vez. O que me impediu de fazer isso foi a razão pela qual eu fiz essas peças em primeiro lugar, como eu poderia deixar um modelo de plástico quando os homens que voavam a aeronave real não tinham essa escolha e, além disso, assumiram um desafio infinitamente maior com consequências de fracasso absoluto e final ?

A construção não começa, de fato, com a cabine deste kit. No entanto, foi aí que comecei de qualquer maneira. O cockpit do kit é razoavelmente detalhado, mas os assentos são bastante visíveis e optei por usar assentos de resina Quickboost & # 8217s no lugar das peças do kit. Caso contrário, a cabine foi montada conforme as instruções e foi inserida na fuselagem, para nunca mais ser vista.

Montagem e pintura de base

A montagem da base do Tamiya & # 8217s Mosquito é extremamente fácil. Nessas fotos, a fuselagem acabada e as asas são mostradas juntas, mas na verdade não estão permanentemente unidas como planejei pintar com as asas ainda separadas. Leitores particularmente experientes notarão na imagem à direita que as hélices estão incorretas para um Mossie de número de série HRxxx. Notei que também, imediatamente depois que essas fotos foram tiradas e eu tive que abrir os conjuntos de hélice colados para alterá-los para os adereços corretos.

Excepcionalmente para mim, pintei as cores superiores primeiro. Usei acrílico Tamiya para o marrom & # 8211 para o qual escolhi um tom de vermelho / marrom com base em algumas evidências de que o marrom era assim, em vez da terra escura mais clara dos esquemas da RAF no início da guerra. Não há [que eu saiba] certeza sobre qual era realmente o tom de marrom, mas se algum fosse revelado a mim, ficaria feliz em saber disso, mesmo que prove que meu modelo está incorreto. Eu misturei um tom de verde para combinar com o verde da folhagem usado no teatro usando os acrílicos Vallejo Model Air. O lado de baixo foi chamado de Medium Sea Grey de acordo com minhas referências, mas as fotos do HR402 indicaram [para mim, pelo menos] um contraste maior com o lado de cima, então eu misturei um tom mais claro de cinza, novamente usando acrílicos Vallejo.

HR402 como era em 7 de janeiro de 1945 em Kumbhirgram. Observe o tom de cinza mais claro na parte inferior com forte contraste com as cores superiores.

Problemas começam

A pintura do lado inferior levou quase uma semana para curar e, mesmo assim, não completamente na foto acima, a tinta ainda está pegajosa entre as nacelas do motor e a fuselagem. Esta é a primeira vez que encontrei esse problema com as tintas Vallejo e o atribuí a uma combinação de clima mais frio com talvez uma proporção pobre de solvente para tinta. Também pode ser um lote de tinta ruim, mas acho improvável, pois a mesma tinta foi bem pulverizada em outras partes desta construção. No entanto, enquanto esperava a cura da tinta, trabalhei em alguns dos subconjuntos. O material rodante correu bem e fiquei feliz com o resultado desse pequeno kit dentro de um kit. No final das contas, as hélices vieram boas, mas no que viria a ser um padrão familiar de descuido, eu primeiro as montei com as hélices incorretas para a aeronave que estava modelando. Para isso, foi necessário separar as capotas da hélice da placa de base, após a cola ter endurecido, para remover os apoios incorretos e instalar os corretos. Feito isso, consegui finalizá-los com dois tons de preto & # 8211, um para lâminas e outro para capota & # 8211 e colocá-los de lado com o material rodante.

Algum sucesso [temporário], alguns problemas auto-infligidos

Usei o excelente conjunto de mascaramento Montex & # 8216s para pintar as marcações e mascarar o dossel. Eles pintaram muito bem e fiquei muito feliz com o progresso. Eu apliquei um revestimento claro & # 8211 que também não curou totalmente onde a tinta subjacente não havia & # 8217t & # 8211 e adicionei os decalques de estêncil usando Barracuda & # 8216s conjunto de decalques Mosquito Airframe Stencils (Extended) abrangente e lindamente renderizado, que se aplicou muito bem mas eram um pouco grossos, pelo menos a minha preferência. Feito isso, decidi que o modelo precisava de um filtro de sal para atenuar o trabalho de pintura superior e adicionar aquela variação sutil de acabamento de pintura visto em tudo o que & # 8217s passou mais do que um breve tempo fora, nos trópicos.

Eu usei um filtro de sal três vezes, incluindo este. Antes deste, eu estava rebatendo 0,500 em termos de sucesso. Fiquei muito feliz com o resultado do furacão apresentado na peça sobre Les Clisby e muito menos feliz com a forma como funcionou na peça sobre John Wesse & # 8217s P-47. Então, um risco. A teoria é simples & # 8211 o sal atua como uma máscara aleatória sobre a qual uma leve lavagem é borrifada & # 8211 e acrescentei um pouco aplicando a tinta enquanto o sal ainda estava úmido em uma tentativa de maior sutileza no efeito . No fim das contas, fiquei um pouco desapontado com o resultado - ele certamente estava presente, mas era o que eu queria. Vou chamar isso de empate.

Fica pior & # 8230

Os resultados do filtro de sal. O positivo tem uma variação sutil no acabamento da pintura, que dá à tinta uma aparência desbotada aleatoriamente. Pelos negativos, foi muito difícil tirar o sal e [literalmente] enquanto escrevo isso, eu percebi o porquê. Usei o verniz para piso Pledge Shine [Futuro] como verniz. Agora estou certo de que a água dissolveu parte do Futuro (que adicionalmente não havia curado tão bem quanto o normal em grande parte da estrutura) e que, por sua vez, dissolveu parte do sal. Isso explica o sal nas linhas do painel, conforme visto acima. Mas fica pior. Não importa quantas vezes eu limpasse o modelo o sal voltava e no final tive que repintar algumas áreas onde não conseguia tirar o sal para lavar. Portanto, observe para si mesmo, e para qualquer outra pessoa que por acaso ler isto, use algo diferente de um verniz solúvel em água antes de uma lavagem com sal ou então esteja preparado para a angústia, para dizer o mínimo.

Algo vai bem, mas não tão bem & # 8230

Leitores regulares reconhecerão as fotos acima para sugerir que eu estou finalmente trabalhando para completar a parte inferior & # 8211 e de fato estava. Anexei as bombas, chassis, portas, etc. Usei canos de metal Master para o canhão de 20 mm e metralhadoras .303, embora você tenha que olhar bem de perto para ver que & # 8230 usei principalmente pastéis de giz para o desgaste embora haja & # 8217s uma lavagem cinza escuro para as linhas principais do painel e algum uso menor de Tamiya & # 8220Smoke & # 8221 pulverizado para ajudar em algumas áreas. Fiquei satisfeito com os resultados aqui, principalmente com as listras voltando dos radiadores que acidentalmente encontrei uma maneira de produzir com um pano levemente úmido arrastado para trás na direção do fluxo de ar nos pastéis aplicados.

Depois de virá-lo sobre as rodas, terminei e fiquei feliz em fazê-lo. Eu não aborreci você com tudo que saiu de forma subótima, imaginei que o que descrevi era o suficiente. No entanto, caro leitor, há mais uma parte na triste história & # 8230 Veja a imagem acima e compare com a imagem abaixo da aeronave real & # 8230

Este é o HR402, conforme fotografado em 7 de janeiro. Notou alguma coisa em comparação com a foto acima? Eu & # 8217 lhe darei um momento & # 8230. Veja o código do esquadrão na fuselagem. A letra da aeronave & # 8220C & # 8221 está visível, à esquerda do arredondamento. Agora olhe para o modelo acima novamente.

Primeiro, remascarei e consegui obter um & # 8220C & # 8221 do & # 8220B & # 8221 e um & # 8220C & # 8221 do & # 8220O & # 8221 havia espaço suficiente para pintar um novo & # 8220B & # 8221 à direita do & # 8220O & # 8221. Em seguida, pintei mais um pouco de folhagem verde & # 8211 uma nova mistura que consegui obter no local da mistura original, em seguida, o esbranquiçado que usei para os próprios códigos antes de uma camada brilhante para selá-los. Quando estava seco , Apliquei uma nova camada plana e clima para misturar a nova tinta com a original.

Galeria

Referências e Créditos

  • Nº 45 do Livro de Registro de Operações do Esquadrão
  • Diário Operacional e Registro de Treinamento, No.45 Squadron R.A.F.

No. 460 Esquadrão RAAF, No. 1 Grupo, Comando de Bombardeiro RAF

Um dos 126 esquadrões que serviram no Comando de Bombardeiro da RAF foi o Esquadrão No.460 RAAF, originalmente parte do Grupo No. 8 e depois do Grupo No.1. O No. 460 ganhou distinção por ter voado a maioria das surtidas (6.262) de qualquer esquadrão de bombardeiro australiano e lançou mais tonelagem de bomba (24.856 toneladas) do que qualquer esquadrão em todo o Comando de Bombardeiros. O esquadrão manteve a maior taxa de prontidão de aeronaves de qualquer Esquadrão de Comando de Bombardeiros. Ele também perdeu o maior número de aeronaves (188) e sofreu o maior número de mortes em combate (1.018 dos quais 589 eram australianos). O esquadrão foi estatisticamente eliminado cinco vezes durante sua existência.

O Esquadrão No. 460 surgiu em 15 de novembro de 1941 e foi inicialmente equipado com bombardeiros médios de dois motores Wellington Mk.IV. Com base então na RAF Breighton, eles realizaram seu primeiro ataque em março de 1942 contra a cidade alemã de Emden.

Freiburg, Alemanha. 1944-11. Uma das dezesseis aeronaves Lancaster do Esquadrão No. 460 RAAF sobre Freiburg na noite de 1944-11-27 durante o ataque ao centro ferroviário pelo Comando de Bombardeiros da RAF. Grandes incêndios podem ser vistos queimando na área do alvo. Fonte: AWM

Em agosto, o Esquadrão reequipou-se com Handley Page Halifax & # 8217s, mas apenas três meses depois eles reequiparam novamente com Avro Lancaster Mks. I e III com os quais terminaram a guerra. Em maio de 1943, o Esquadrão fez sua última mudança em tempo de guerra para RAF Binbrook em Lincolnshire, de onde iniciou suas operações como parte da campanha de bombardeio estratégico contra a Alemanha.

Lincolnshire, Inglaterra. 08-12-1944. Retrato de grupo de membros da tripulação aérea e terrestre no Esquadrão RAAF nº 460 de Lancaster na Estação Binbrook da RAF, com uma das aeronaves do esquadrão após uma leve queda de neve & # 8211 no primeiro da temporada. Fonte: AWM

No final de 1943 e na primeira metade de 1944, o esquadrão realizou surtidas na Batalha de Berlim, bem como apoio para a invasão da Europa, seu ataque final foi um ataque ao retiro de montanha Adolf Hitler & # 8217s de Berchtesgaden no Dia de Anzac de 1945. Em Em maio de 1945, o Esquadrão juntou-se à Operação Manna, fornecendo transporte de suprimentos de socorro para civis holandeses famintos. Quando a guerra terminou na Europa, 460 Sqd. foi designado como parte da Força Tigre e estava se preparando para entrar em ação como parte da invasão das ilhas japonesas quando a guerra no Pacífico foi encerrada por meio das bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki.


DEZ COISAS QUE VOCÊ PODE NÃO SABER SOBRE FIELD MARSHAL BERNARD MONTGOMERY

1. SEU AVÔ MATERNO ERA UMA CRIANÇA FAMOSA & O ESCRITOR # 8217S

Seu avô materno, Dean Farrar foi um famoso pregador e escritor. A mãe de Montgomery era filha de Dean Farrar, um teólogo conhecido que enchia uma igreja quando se sabia que estava pregando. Ele foi mestre em Harrow e diretor das escolas de Marlborough. Ele passou grande parte de sua carreira clerical na Abadia de Westminster tornando-se arquidiácono e também capelão da casa real. Ele escreveu obras de teologia e várias obras de ficção, incluindo Eric ou Little by Little. Este conto se passa em uma escola que foi um dos livros mais conhecidos para meninos no meio da Inglaterra vitoriana.

2. SEU PAI: BEM ME CHAMAR DE DEUS

O é um importante memorial ao pai de Montgomery, Henry Montgomery, na catedral de São Paulo. Após seu retorno do cargo de Bispo da Tasmânia, Henrique tornou-se o Prelado da ordem de São Miguel e São Jorge. Foi durante o seu mandato que a Ordem recebeu a capela da Catedral de São Paulo no lado sul da nave. Henry foi nomeado cavaleiro comandante da ordem de São Miguel e São Jorge em homenagem ao aniversário do rei em 1928. Ele se tornou um KCMG - conhecido como "Gentilmente, me chame de Deus". Cada membro da ordem tem uma placa de latão na capela.

3. SEU OFICIAL COMANDANTE DESERTOU SUA BATALHA NA BATALHA

Na primeira batalha de Monty, seu comandante abandonou Montgomery e metade do batalhão no campo de batalha de Le Cateau. No final da batalha, eles escaparam dos alemães marchando entre as colunas alemãs não descobertas. O tenente-coronel John Elkington foi levado à corte marcial e dispensado por abandonar seus homens e render-se a um posto em Sant Quentin. Elkington finalmente redimiu sua honra. Ele se juntou à Legião Estrangeira Francesa como soldado particular. Quando o comandante de seu pelotão se tornou uma baixa, Elkington reuniu os homens e os liderou em um ataque no qual ele foi gravemente ferido.

4. FOI UMA PUNIÇÃO DE ESTUDANTE SENTAR-SE AO LADO DE MONTY NO CAFÉ DA MANHÃ

Montgomery era um aluno argumentativo e tagarela no Staff College. De acordo com as lembranças de um ex-aluno, um aluno foi condenado a se sentar ao lado de Monty no café da manhã por uma semana. Em sua página de enigmas, a revista da faculdade colocou: & # 8220Se são necessários dez caminhões carregados de 9,2 & # 8221 Mk V estrela padrão Índia para impedir que um banho no segundo andar do colégio de funcionários vaze, quantos fardos com escalões completos terão necessária para impedir Monty de borbulhar no café da manhã. tinha uma página de "Coisas que gostaríamos de saber", uma delas era "Se e onde Monty observa dois minutos de silêncio no dia do armistício?"

5. MONTY & # 8217S BOHEMIAN CIRCLE

Monty conheceu muitos artistas da década de 1920 por meio de sua esposa Betty. Ela se formou na Slade Art School. Sua casa em Chiswick como ponto de encontro de muitos “boêmios” como AP Herbert, Eric Kennington e Augustus John.

6. MONTY ESCREVEU O MANUAL DE TREINAMENTO DE INFANTARIA

Em 1929, o major Montgomery escreveu o livro de táticas de infantaria. Volume de treinamento de infantaria 2 Guerra. Ele conhecia e havia escrito para Basil Liddell Hart, o autor da edição anterior. Liddell Hart desentendeu-se com Montgomery por causa da omissão de algumas das ideias favoritas de Liddell Hart, a abordagem da Torrent em expansão para persegui-la.

7. CRUZANDO COM O ARQUITETO DO REICHSWEHR

Em 1934, o tenente-coronel Montgomery e sua esposa fizeram um cruzeiro para o Extremo Oriente. Um dos passageiros do mesmo cruzeiro era o general alemão von Seeckt, o arquiteto do Reichswehr alemão. Montgomery interrogou longamente o alemão sobre suas idéias por meio de um intérprete.

8. MONTE O FUMADOR E O BEBEDOR

Notoriamente um tee total não-fumante, Montgomery bebeu e fumou com moderação até 1939. No entanto, em junho de 1939 Montgomery foi invalidado de volta para o Reino Unido da Palestina com pleurisia. Em sua recuperação, ele parou de beber e fumar.

9. O ESCÂNDALO DO SEXO

Em 1940, um escândalo sexual, ou melhor, um escândalo sobre doenças sexualmente transmissíveis, ameaçou engolfar sua carreira militar durante a guerra. Como comandante da 3ª Divisão, Monty ficou preocupado com a prevalência de doenças venéreas em sua 3ª Divisão. Ele escreveu uma ordem ordenando aos oficiais de comando que disponibilizassem preservativos à venda no NAAFI e garantissem que a higiene sexual fosse promovida. & # 8220Minha visão é que se um homem deseja uma mulher, deixe-o fazê-lo por todos os meios, mas ele deve usar o bom senso e tomar todas as precauções. & # 8221 Nada para assustar os cavalos no século 21, mas não na metade C20º para um exército de militares nacionais. Nunca ocorreu a Monty que era melhor deixar esse assunto para os serviços médicos. Lord Gort, o comandante da Força Expedicionária Britânica, exigiu que Montgomery retirasse publicamente a ordem, o que Brooke, o comandante do corpo pensou, teria deixado a posição de Monty como comandante insustentável. O comandante de seu corpo, Alan Brooke, convenceu Gort a permitir que Brooke negociasse com Monty.

10. NATAÇÃO COM O PRESIDENTE MAO

Depois de escrever suas memórias, Montgomery assumiu o papel de mediador para a paz mundial. Ele obteve convites da liderança soviética e chinesa. Ele conheceu Nikita Krushchev em Moscou e o presidente Mao-Tse Tung na China, sete anos antes da visita histórica de Nixon. Monty nadou no rio Yangtse com Mao, gostou da reunião o suficiente para convidar Monty para uma segunda visita e compôs um poema para ele intitulado "natação".

11. SERIA ENVIO DE PAZ DO ORIENTE MÉDIO

No 25º aniversário de El Alamein, quatro meses após a guerra de seis dias, Monty ofereceu seus serviços ao presidente Nasser do Egito como emissário pessoal para negociar a paz entre o Egito e Israel.

A maioria deles foi retirada da biografia de Nigel Hamilton & # 8217s de & # 8220Monty & # 8221

Se você gostaria de visitar alguns dos sites associados a Bernard Montgomery, estou organizando passeios e palestras.


12 furacões
+ (33414) S / L Peter William Olber 'Boy' Molde DFC & amp Bar - 185 Sqn. KIA 1 ° de outubro de 41
+ (41815) P / O Henri Ferdinand Auger - 1/261 Sqns. KIA 23 de abril de 1941, de Montreal
F / O Innes Bentall Westmacott - 56/261/185 Sqns./1435 Flt. vôo liderado de 6 furacões
+ (82685) Peter Kennett - 17/261 Sqns. KIA 11 de abril de 1941
(113499) Sgt. George Arthur Walker - 232/261 Sqns.
Sgt. B.J. Vardy - 185 Sqn.
(740815) Sgt. Joseph Kenneth Pollard? - KIFA 55 OTU 12 de dezembro de 41
(83286) P / O John Victor Marshall
+ (745800) Sgt. Peter Harry Waghorn - KIA 11 de abril de 1941 261 Sqn. com Kennett
+ (742987) Sgt. Ernest Robert Jessop - 242/261 Sqns. morto em 15 de novembro de 41
(745169 - 139038) Geoffrey Lockwood - 261 Sqn. 127 Sqn. DAF
+ (754910) Sgt. Henry Horace Jennings - 261 Sqn. KIA 7 de maio de 1941


Nós precisamos de seu apoio!O jornalismo local precisa do seu apoio!

À medida que navegamos por tempos sem precedentes, nossos jornalistas estão trabalhando mais do que nunca para trazer a você as últimas atualizações locais para mantê-lo seguro e informado.

Agora, mais do que nunca, precisamos do seu apoio.

A partir de $ 12,42 / mês, você pode acessar seu Brandon Sun online e acesso total a todo o conteúdo que aparece em nosso site.

ou ligue para circulação diretamente em (204) 727-0527.

Sua promessa ajuda a garantir que fornecemos as notícias mais importantes para sua comunidade!


Retornar para Northwestern Ontario 2017 Parte I “YQT” Thunder Bay Photo Coverage + 20 de março YQT Press Release + Norseman + 419 Squadron Updates

A viagem de campo do ano passado ao noroeste de Ontário provou ser a experiência fantástica de costume (role para trás para encontrar nossa cobertura detalhada para 2012). 2017 me levou de volta à minha primeira aventura aqui no verão de 1961, quando voei para o antigo aeroporto de Fort William em um TCA Visconde. Eu voltei muitas vezes. Em 2017, comecei a trabalhar em 19 de julho ao embarcar em um sofisticado Porter Airlines Q400 no Aeroporto Billy Bishop de Toronto & # 8212 & # 8220YTZ & # 8221. Suave, rápido e silencioso, esta é definitivamente a forma mais agradável de YQT. Você começa escalando o extenso GTA. A Baía de Toronto, as icônicas Ilhas de Toronto e o enorme horizonte da cidade estão bem ali na sua janela. Mas a cidade logo dá lugar à cênica zona rural de Ontário quando você passa pelo Lago Simcoe à direita e segue sobre a Baía Georgiana e o Lago Huron, até que você esteja olhando para Sault St. Marie. Em seguida, vem a perna longa e reta (quase 250 milhas) por todo o Lago Superior até o seu pouso na Baía de Thunder “YQT”. O vôo completo cobre cerca de 550 milhas de YTZ.

Um tour guiado
Como é de costume em um dia ensolarado de verão, o YQT estava ocupado esta manhã com todos os tipos de aviões em suas várias cores. A primeira parada foi no escritório do gerente do aeroporto para fazer o check-in para meu tour fotográfico pré-organizado. YQT fez tudo para fora, fornecendo um veículo e um membro da equipe que conhecia cada canto e recanto. Aqui estão algumas das minhas fotos. Para ver uma foto em tamanho cheio, clique nela uma vez.

Uma cena típica ao descer via Porter Q400 para pousar em Thunder Bay em um belo dia de verão. Destacado nesta imagem capturada pela janela está a zona portuária histórica da cidade. Mesmo que agora seja uma sombra do que era, a antiga linha costeira industrial ainda tem seus elevadores de grãos e você também pode ver o desenvolvimento moderno. Bem no topo (no horizonte) eu mal peguei “o Gigante Adormecido”.

Aeroporto Internacional de Thunder Bay como você o encontrará - um exemplo atraente de arquitetura funcional de aeroporto. O YQT está no coração de uma vasta região que atravessa o norte de Ontário, do Lago Bearskin, 400 milhas ao norte, e mais de 400 milhas no nordeste até Moosonee. A oeste, é uma linha reta de 370 milhas até Winnipeg. De Winnipeg a Moosonee existem dezenas de pequenas comunidades, em sua maioria “apenas aéreas”, que procuram Thunder Bay e Winnipeg para suas necessidades diárias. As principais companhias aéreas leste-oeste entre Winnipeg e Toronto são Air Canada, Porter e WestJet. As principais transportadoras locais são a sempre ocupada Bearskin, North Star Air, Perimeter, Thunder Airlines e Wasaya. YQT é uma operação impressionante. Em 2017, movimentou um recorde de 845.000 passageiros e apoiou cerca de 5.000 empregos. Conforme observado pela autoridade aeroportuária em janeiro de 2018, “TBIAA não recebe financiamento do governo para a operação do aeroporto. A atividade econômica… é responsável por cerca de US $ 645 milhões de dólares no PIB… ”Para obter mais informações sobre o YQT, consulte http://www.thunderbayairport.com.

Porter Q400 C-FLQY em YQT com a base da ambulância aérea de Ornge como pano de fundo. “LQY” foi entregue a Porter em abril de 2010. Em 2018, Porter tinha 29 Q400s de 74 assentos na frota e operava 5/6 voos diários da Lakehead. O confortável e rápido Q400 viaja a 360 nós. Em 2018, Porter abriu uma base de tripulação em Thunder Bay, a primeira no norte de Ontário para qualquer grande companhia aérea. Para reservar sua viagem do Porter Q400, vá para http://www.flyporter.com, certo!

Um dos 78 assentos "Encore" Q400s da Westjet durante uma reviravolta do YQT em 19 de julho. A frota da Encore totaliza 43 Q400s fornecendo serviço regional de BC para a Costa Leste. Porter concentra-se em Ontário, mas também voa para o leste até Newfoundland e para cidades americanas de Chicago a Boston e ao sul na Flórida.

Um dos mais importantes burros de carga do norte é a série Swearingen / Fairchild Metro III e IV (e predecessores). O Metro IV (também conhecido como Metro 23) do final dos anos 1980 é o epítome do trabalho da vida de Ed Swearingen, que começou mexendo com Beech Twin Bonanzas e Queen Airs em sua base no Texas nos anos 1960. Seus esforços levaram ao gêmeo corporativo Merlin light usando turboélices PT6 ou Garrett. O desenvolvimento posterior resultou na série SA226 Metro, voada pela primeira vez em 1969. Na categoria de 12.500 libras e 19 passageiros, o Metro evoluiu constantemente. De toda a série Merlin / Metro, cerca de 700 aviões foram entregues até a produção cessar em 1998. Aqui & # 8217s Bearskin Metro IV C-GYTL no YQT em 19 de julho. Consulte http://www.bearskinairlines.com e Transporte Aéreo no Canadá Vol.2 para mais uma boa cobertura de pele de urso.

Metro “YTL” foi adaptado com hélices compostas de 5 pás. O metrô navega a cerca de 250 nós. Tem tido um bom desempenho nas faixas de cascalho que caracterizam o norte. Seus Garrett TPE331s de 1000 HP estão entre os motores turboélice leves mais confiáveis ​​da história da aviação. De todos os tipos de 19 assentos ao longo das décadas, o Metro provou ser o melhor para as pessoas deste vasto interior. Claro, é barulhento e apertado, mas é rápido, confiável, seguro e dá lucro. A empresa irmã de Bearskin, Perimeter Airlines of Winnipeg, é outra operadora de metrô de longa data. O surgimento do Metro permitiu que os operadores desta região substituíssem rapidamente sua miscelânea de antigos canhões de pistão do asteca para o DC-3.

Medidores de pele de urso - C-GAFQ incluído & # 8212 passam por verificações de manutenção programadas no YQT.

Bearskin/Perimeter’s 2017 route map gives an idea of the vast region served by the Lakehead’s northern air carriers.

(Below) The Confederation College YQT campus. Hundreds of young pilots have graduated from “Confed” over the decades. The 2018 fleet includes 16 Cessnas and three flight simulators.

An important part of the scenery at YQT since 2011 is Pilatus Canada/Levaero, a regional centre for PC-12 sales and service. The history of this operation dates to 1985 when bush pilot and entrepreneur Frank Kelner founded Kelner Airways at Pickle Lake. A visionary, he introduced the Cessna Caravan (first flight 1982) to Northern Ontario c1990. In 1996 his company morphed into native- owned Wasaya Airlines. After modernizing much of northern aviation with the Caravan, Kelner did the same with the PC-12, importing 105 of the Swiss-made planes between 1997-2011, many more since. More recently Kelner brought the PT6-powered Basler DC-3 to Northwestern Ontario under the North Star Air banner. In 2016 he sold his Pilatus interests to his partners, but remained to head the board. In 2017 he sold North Star to the Northwest Co. of Winnipeg for $31M. See the Kelner story in detail in Céus magazine on line January 27, 2012: New Horizons – Skies Mag https://www.skiesmag.com › news › Skies Online (Features)

One of North Star’s Basler DC-3s at YQT on July 19.

When lucky enough to have a guided tour at YQT, any fan with a camera has no trouble keeping busy for a good couple of hours. You’ll always see courier and cargo planes awaiting their next trips. Present on July 19 were First Air ATR-42 C-FIQR and FedEx resident Caravan C-FEXF. With any such planes, there usually is some interesting history. “IQR”, for example, for decades was the registration on one of Canada’s most historic DC-3s, CF-IQR. First in Canada in 1956, “IQR” served such companies as Wheeler Airlines, Nordair and Bradley Air Services. Its flying days finally ended in a 1977 crash. Today’s “IQR” also is registered to Bradley Air Services, parent company of First Air. The ATR-42 broke into the northern market especially due to its standard cargo door. This gave it a jump on the Dash 8-100, which started appearing with such operators as Perimeter in the 2010s, but without a cargo door. Recently, however, cargo doors have been retrofitted to Dash 8s, broadening their usefulness in the north.

Way out in YQT’s “Back 40” sits this old clunker of an ATR-42 that along with HS748 C-GBCY is used in training EMS personnel in emergency scenarios.

Here are a couple of other vintage planes on the YQT tiedowns on July 19: 1966 Cessna 337A C-GAMY and 1959 Cessna 175 C-FLIO.

(Above) There invariably are some interesting transients at YQT. In summer these often bring sportsmen north for some world-class fishing at the region’s famous outpost camps. On July 19 I spotted these beauties. Piper PA-46 M600 Malibu (US$3M basic new price) C-GTNO was at the Shell FBO. Waiting nearby was Citation 560 Citation N535GR (G&R Aviation) on a charter from Louisville.

Another stalwart on the YQT scene for decades is the Mitsubishi MU-2 “Rice Rocket” (first flight 1963). Once the MU-2 started reaching the hand-me- down stage in the 1980s, it found lots of work in northern Canada as a speedy air ambulance, while still doing general duties. MU-2B- 60 C-FFSS of YQT’s Thunder Airlines was sunning itself on the ramp on July 19. Parked in the bone yard around the corner was a superannuated MU-2 that probably still was useful for particular spare parts. As do so many older such planes, C-FFSS has its “history”. In one case (September 27, 1991) it almost met a brick wall. As explained on the Aviation Safety Network, that day it was on a cargo flight from Utica, NY: “During the climb, one of the four propeller blades on the No.2 engine separated from the propeller hub, damaging another propeller blade and the fuselage… The rotational unbalance was accompanied by extreme vibration and resulted in distortion and damage to the engine/cowl assembly and the wing. The upper portion of the engine cowl was deflected upward over the wing at an angle of about 30 degrees, resulting in distortion of airflow, buffeting and degradation of roll control. Due to excessive drag, maximum power was required on the No.1 engine in order to control the rate of descent and land successfully. A metallurgical examination disclosed evidence of fatigue cracking of the propeller hub arm. The NTSB determined the probable cause to be: “Fatigue cracking of the propeller hub… Aircraft repaired and returned to service.” The Rice Rocket is one tough old bird! Like the Metro, it uses the Garrett TPE331.

Also at YQT (on its last legs) on July 19 was Wasaya’s HS748 “801” C-GLTC. Originally delivered to the West German government in 1969, “LTC” came to Canada in 1986. It joined Kelner Airways in 1990, then Wasaya in 1992, where it toiled for 25 years. The end of 801 left Wasaya with just one in these historic planes on the go. The sight of “LTC” reminded me of the time a few years ago when I interested the CEO of First Air in offering a 748 to Canada’s national aviation museum. First Air agreed to fly its most historic 748 into the museum at Rockcliffe and “hand over the keys”, but in its wisdom Ottawa said “No thanks”. Soon there won’t be one 748 left flying in Canada. Will the last one go for pots and pans, or will one of Canada’s more visionary museums smarten up and grab itself a 748?

Also sitting “in the weeds” at YQT was Metro 227DC C- GSOQ, one of the famous Australian Metros vintage 1993. I heard that when Bearskin purchased several of the “Down Under” Metros, they came all the way across the vast Pacific to Thunder Bay on single-pilot ferry trips.

A Wasaya Beech 1900D and Dash 8 sit on the tarmac — but not for long. At this time Wasaya’s fleet was listed as: three 748s, four Dash 8-100s, one Dash 8-300, eight Beech 1900Ds, three Caravans and four PC-12s. The Dash 8-300 was operated for Goldcorp to rotate miners in and out of an isolated gold mine.

All day long commuter planes buzz in and out at YQT. Above is Westwind’s 1994 ATR-42 C-GLTE was on lease to North Star during a busy spell.

As a Beech 1900D, Metro or PC-12 taxis out, something new arrives at YQT from the north. Here’s a nice pair – Dash 8-100s of Wasaya and Perimeter. I flew on the latter (C-FPPW) to Sioux Lookout soon after my whirlwind YQT visit. “PPW” had spent from 1994-2010 in the US as N827EX. Note that Wasaya Dash 8 C-GJSV has the rear cargo door mod. Built in 1987, “JSV” spent is life in Canada starting with Air Ontario then finally joining Wasaya in 2016.

There are some famous names on the street signs around YQT. This one honours the great Orville J. “Porky” Weiben, a legendary Canadian aviation hero. During the war he was a test pilot for Canadian Car and Foundry at Fort William, flying Hurricane fighters and Helldiver dive bombers as they came off the Fort William production line. Weiben’s Superior Airways was the local air carrier through the 1950s-70s. On the other side of the field today is Derek Burney Drive, named in honour of Burney, whose credentials include such highlights as Canada’s ambassador to the USA and president of CAE Inc of Montreal. Naturally, there also is Kelner Drive at YQT.

Have a look next week to see where I travelled after leaving Thunder
Bay on July 19. Cheers … Larry

PS … on March 20, 2018 YQT released its current progress report. Have a look:

Thunder Bay Airport (YQT) volumes hit an all-time high by hosting 844,627 passengers in 2017. Traffic grew by 4.6 per cent over 2016 volumes. Traffic volume growth was supported by a number of positive factors. Additional capacity offered by a number of airlines into northern destinations has contributed new volume.

The early start of the winter charter season also brought new passengers to the airport. Airport volumes also benefitted significantly from the Under 18 World Baseball Championships and the rise of international student enrolment at both Lakehead University and Confederation College.

Volumes are expected to be similar in 2018 according to president and chief executive officer, Ed Schmidtke. “Special events hosted by our community will support airport volumes going forward,” he said. “The Canadian Chamber of Commerce Annual General Meeting in September consistently draws 450 delegates. The Victory Cruise ship will see 400 passengers arrange air travel components through Thunder Bay Airport.”

Passenger traffic growth has necessitated terminal building expansion. The secure departure lounge and the Customs Clearance Hall will both be expanded by the fall of this year. Speaking on the expansion, Schmidtke said: “As Thunder Bay continues to grow its reputation as a national and international destination, the airport will invest in facilities that will welcome our visitors and cost effectively support our daily operations.”

Some 2018 Norseman News

The Norseman story is endless. For starters today, here’s a photo of Gord and Eleanor Hughes’ lovely Norseman CF-DTL on Ramsay Lake in Sudbury back in the early 90s

Bruce Roberts in Georgia has been doing some very serious Norseman archaeology. While hiking one day, he discovered a Norseman wreck on a Georgia mountain top. Here’s Bruce’s story. Add this to what you already know from our 2-volume Norseman history and all the follow-on material that’s arisen since on our blog. Here’s Bruce’s story:

“Hi, Larry … I came across your website while researching Noorduyn Norsemans, after finding an old crash site on a mountainside near our home in north Georgia. Thought you might be interested in seeing some of the photos. To date I have been unable to find any record of the crash, after checking online Norseman records as well as US civilian and military records. Local inquiries haven’t uncovered anything yet either.

“The site is at approximately 3760 feet in a wilderness area just south of the North Carolina state line, near Hiawassee, Georgia. We are wondering if perhaps the crash occurred on the way to or from the Augusta, Georgia location of the Reconstruction Finance Corp., which handled surplus US Army UC-64 Norsemans. But that’s just conjecture.

“We also think the aircraft may have been salvaged, since a number of large components are missing. Including the engine, engine mount, firewall, landing gear and wheels, wing struts, instrument panel, control stick, one wing, etc. Although, I don’t know how these large parts could have been salvaged, since it is very difficult to even hike to the site today, and the old 1930s logging roads never reached such steep parts of the mountains.

“I have made 3 climbs to the site so far, including my initial discovery (when I thought the fuselage was part of some old communications tower or similar) This link goes to an index page, and clicking on the pages in numerical order will take you through the exploration chronologically.” See all the details at: http://www.be-roberts.com/se/snant/nors-index.htm

419 Squadron Update: George Sweanor a.k.a. “Ye Olde Scribe” Shares Some History and Philosophy

PS … I’d like to direct you to George Sweanor’s blog. A WWII bomber navigator with 419 Sqn, George flew several operations before his crew was shot down in their Wellington. He then spent some 800 days as a POW. In February 2018 George was visited by several pilots from today’s 419 Sqn stationed at Cold Lake. If you refer to your CANAV Books library shelf, you can find some bits of George’s RCAF history in Sixty Years: The RCAF and CF Air Command 1924-1984, e Aviation in Canada: Bombing and Coastal Operations Overseas. George runs an erudite and always informative blog at www.yeoldescribe.com This is the recent news item about 419 Sqn “then and now”:

98-year-old Royal Canadian Air Force veteran gets surprise visit. ( Posted on March 12, 2018 NORAD Press Release)

A 98-year-old Royal Canadian Air Force (RCAF) Second World War veteran and former Prisoner of War now living in Colorado Springs, Colo., received a surprise visit Feb. 23, 2018.

Members of 419 Tactical Fighter (Training) Squadron sit with George Sweanor following the unit’s training mission in El Centro, Calif. NORAD/USNORTHCOM Public Affairs

George Sweanor, a retired RCAF Squadron Leader, was met by members of 419 Tactical Fighter (Training) Squadron at the Colorado Springs Airport following the unit’s training mission in El Centro, Calif.

Sweanor was one of the founding members of the squadron that stood up in 1941 in the United Kingdom as the third RCAF bomber squadron overseas.

Members of 419 Squadron talked with and listened to Sweanor for more than an hour as he reminisced about his time with the squadron and his experiences during the Second World War.

“It was an honour for us to meet such a distinguished veteran and founding member of 419 Squadron,” said Maj Ryan Kastrukoff, deputy commanding officer of the unit.

During the war, Sweanor served with the RCAF in the United Kingdom with 419 Squadron. In 1942, he was shot down and captured after multiple flights over enemy territory, spending 800 days as a Prisoner of War.

Sweanor was also involved in a daring escape from Stalag Luft III prisoner of war camp in Zagan, Poland, in 1944 and acted as a security lookout during the excavation of the escape tunnel dubbed “Harry.” This event was immortalized in the 1963 film, “The Great Escape.”

Following the war, Sweanor remained with the RCAF. Also of note, he was one member of a group that opened Cheyenne Mountain, former home to North American Aerospace Defense Command (NORAD), which is celebrating its 60th anniversary this year.

Sweanor one of the founding members of the squadron that stood up in 1941 in the United Kingdom as the third RCAF bomber squadron overseas. NORAD/USNORTHCOM Public Affairs Photo

His last assignment was in Colorado Springs, where he retired and began teaching at Mitchell High School. He is also a founding member of 971 Royal Canadian Air Force Association Wing in Colorado Springs and regularly attends events as a special guest, along with members of the Canadian Armed Forces serving at NORAD.

As part of the visit, Squadron members presented him with a book commemorating the 75th anniversary of the squadron, a current squadron patch and a squadron patch with his name stitched into it.

Sweanor has written one book and continues to write his own blog.

The current 419 Tactical Fighter (Training) Squadron was formerly known from 1941 to 1945 as No. 419 Squadron, Royal Canadian Air Force.


Assista o vídeo: Spektakularne akcje II wojny światowej odc. 1313 Ucieczka przez bramy piekieł


Comentários:

  1. Apollo

    Que excelentes palavras

  2. Bakinos

    Bravo, que excelente resposta.

  3. Sidell

    Eu sou final, sinto muito, gostaria de oferecer outra decisão.

  4. Mausida

    Esta mensagem, é correspondente))), é agradável para mim :)

  5. Faebei

    Eu posso recomendar visitá -lo um site no qual há muitas informações sobre um tema interessante você.

  6. Lucky

    Isto não é uma piada!



Escreve uma mensagem